voltar

A covid-19 traz enormes desafios aos seguros

13.11.2020
A covid-19 traz enormes desafios aos seguros
Depois de viver seis anos na América Latina, entre São Paulo e Santiago do Chile, João Vieira assumiu o estatuto de repatriado em janeiro, à boleia de um convite da MDS, multinacional portuguesa de corretagem de seguro e resseguro e consultoria de riscos, e do Programa Regressar, que incentiva o repatriamento de emigrantes. Veio depois de "pesar um conjunto de fatores”, mas não tem ilusões: "Não é fácil conquistar expatriados e trazer de volta ao país quadros que têm bons cargos lá fora, até pela questão fiscal.” Sabe que "em geral, no estrangeiro, os salários são mais altos e os impostos são mais baixos”, mas não sabe se sem a redução de 50% na carga fiscal concedida pelo programa Regressar, teria voltado. "No meu regresso, pesou um pacote completo em que o interesse da MDS terá tido uma quota de 80%”, admite. Ponderou, no entanto, "muitos detalhes antes de desviar a rota para a Europa em vez de rumar a Miami”, das condições de vida à possibilidade de educar os três filhos, entre os dois e os cinco anos, no país natal que considera "um dos mais equilibrados do mundo”.

A possibilidade de continuar a ter uma carreira internacional, uma vez que o cargo de Diretor-Geral de Operações e Sistemas de Informação da MDS significa assumir responsabilidades dos dois lados do Atlântico, em Portugal e no Brasil, também pesou para quem trocou Lisboa por Évora na hora de entrar na universidade, já a pensar em alargar horizontes e ser autónomo, e quis, depois, atravessar o Atlântico. Regressar em cima da pandemia trouxe dificuldades adicionais. A matrícula do filho mais velho num colégio parecia missão impossível e até conseguir número de utente do Serviço Nacional de Saúde exigiu uma reclamação para a Direção-Geral da Saúde. Mas encontrou um país diferente, mais digital, e no Porto, onde vive, descobriu "uma cidade bonita, cosmopolita”, longe do estereotipo "cinzento” do passado. 

Quanto aos seguros, vê um enorme potencial de crescimento no domínio da transformação digital, com muitas empresas e startups a investirem aqui. "Se os clientes agora estão em casa e se as coisas são vendidas online, o sector tem aí novas oportunidades”, sustenta. A verdade é que "o seguro direto, vendido online, apesar de ter mais de dez anos em Portugal, vale apenas 3% do mercado". e "acelerar isso, significa que estamos a mudar o perfil do sector”, comenta. Mas do ponto de vista empresarial admite que a covid-19 trouxe "enormes desafios” ao seguros até em coisas simples como um acidente de trabalho e a forma como a legislação encara isto num contexto de teletrabalho. 



João Vieira, diretor-geral de Operações e Sistemas de Informação da MDS 
Artigo publicado no Jornal Expresso


Política de Cookies

Este site utiliza Cookies. Ao navegar, está a consentir o seu uso.Saiba mais

Compreendi